PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Histórico

Categorias

A recuperação da economia vai bem, obrigado

Gesner Oliveira

15/01/2018 16h41

Mesmo sem contar a Copa, 2018 promete emoção. De julgamento do ex-presidente Lula, votação da reforma da Previdência, às eleições presidenciais. Apesar de tantas incertezas, a recuperação continua.

O Banco Central divulgou hoje que o índice de atividade econômica IBC-BR, considerado a prévia mensal do PIB, apresentou alta de 0,49% em novembro em relação a outubro. O resultado surpreendeu o mercado, que esperava alta de 0,40%, além de ter sido a terceira alta mensal consecutiva. Na comparação com novembro do ano passado, houve crescimento de 2,82%, reforçando os sinais de otimismo quanto à recuperação para 2018.

O resultado é fruto de sinais positivos em diferentes setores. Em novembro, o varejo restrito expandiu 0,7% e o ampliado, que inclui automóveis e materiais de construção teve alta de 2,5%. A indústria também cresceu 0,2% no período. Até o setor de serviços, que anda atrasado nesta retomada, voltou a crescer 1,0% depois de quatro quedas consecutivas.

O Índice de Difusão da Atividade Econômica da GO Associados (ID-GO), que mede a temperatura da economia, aponta na mesma direção. O índice acompanha 35 séries econômicas de diferentes dimensões da atividade, como mercado de trabalho, indicadores setoriais e mercado de crédito, e mostra com a porcentagem de setores que estão melhorando. Entre julho e novembro, o indicador se manteve no patamar de pelo menos 80% contra 5,7% no vale da recessão em setembro de 2015.

Com o resultado do IBC-Br, a GO Associados ajustou para cima sua projeção para o PIB de 2017, para uma alta de 1,1% no ano, em vez da projeção anterior de alta de 1,0%. O último trimestre do ano deve registrar crescimento 2,4% ante o último trimestre de 2016, a primeira taxa acima de 2,0% nesta base de comparação desde 2014.

Tal projeção também reflete uma série de indicadores setoriais antecedentes já divulgados para o mês de dezembro. É possível prever bons dados para o mês na indústria, por exemplo, com base nos resultados da produção de veículos (+4,2%), fluxo de veículos pesados nas estradas (+2,5%) e confiança da Indústria (+1,3%).

Para 2018 o mercado espera crescimento do PIB da ordem de 2,70% em 2018. É possível ser mais otimista. Diante do bom cenário externo, da queda dos juros e da melhora da confiança, o Brasil pode crescer mais de 3%. Apesar da política.

Sobre o autor

Gesner Oliveira é ex-presidente da Sabesp (2006-10), ex-presidente do Cade (1996-2000) e ex-secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda (1995) e ex-subsecretário de Política Econômica (1993-95). É doutor em Economia pela Universidade da Califórnia (Berkeley), sócio da GO Associados, professor de economia da FGV-SP e coordenador do grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV. Foi eleito o economista do ano de 2016 pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Sobre o blog

Você entende o que está acontecendo agora na economia? E o impacto que a macroeconomia tem sobre sua vida? Quando o emprego voltará a crescer? Como a economia impacta sobre o meio ambiente? Vale a pena abrir uma franquia? Investir em ações da Petrobras? Este blog se propõe a responder a questões desse tipo de maneira didática, sem economês.

Gesner Oliveira