IPCA
-0.04 Set.2019
Topo
Blog do Gesner Oliveira

Blog do Gesner Oliveira

Categorias

Histórico

Como Dilma, Bolsonaro destrói valor ao interferir nas estatais

Gesner Oliveira

29/04/2019 17h15

A interferência do presidente Bolsonaro no dia a dia de estatais  como a Petrobras,  e mais recentemente o Banco do Brasil, destrói valor desta empresas em prejuízo do interesse público e da melhora de gestão desta companhias. Na feira do Agrishow em Ribeirão Preto, sugeriu que o Banco do Brasil reduza os juros aos agricultores.

Não cabe ao presidente da República interferir em assuntos da responsabilidade de administradores profissionais com a formação técnica necessária para deliberar sobre o juro a ser cobrado dos produtores rurais;  ou a melhor estratégia de marketing para ganhar clientes para o banco.

Um dos méritos da formação do governo Bolsonaro foi escolher nomes técnicos para as principais estatatais, evitando o toma lá dá cá. Isso está em linha com a aprovação da nova lei das estatais no governo Temer que visa introduzir as melhores práticas de governança corporativa, blindando as sociedades de economia mista da politicagem.

Como acionista majoritária do Banco do Brasil, a União tem hegemonia no Conselho de Administração e pode corrigir rumos através das instâncias apropriadas, respeitando sempre o direito dos acionistas minoritários.

Quando os governos se metem a dar palpites em relação àquilo que deve ser feito na gestão da empresa, o valor das ações cai, pois os investidores não colocam seu dinheiro em uma empresa que é governada pela política e não pela racionalidade empresarial.

Com menor apelo ao mercado, os bancos estatais deixam de gerar o potencial de valor que poderiam e consequentemente perdem capacidade para apoiar os produtores.

Em vez de pedir para o Banco do Brasil reduzir os juros que tal gerar mais concorrência no mercado? Aí todas as instituições financeiras vão abrir o coração para os tomadores de empréstimo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Gesner Oliveira é ex-presidente da Sabesp (2006-10), ex-presidente do Cade (1996-2000) e ex-secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda (1995) e ex-subsecretário de Política Econômica (1993-95). É doutor em Economia pela Universidade da Califórnia (Berkeley), sócio da GO Associados, professor de economia da FGV-SP e coordenador do grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV. Foi eleito o economista do ano de 2016 pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Sobre o blog

Você entende o que está acontecendo agora na economia? E o impacto que a macroeconomia tem sobre sua vida? Quando o emprego voltará a crescer? Como a economia impacta sobre o meio ambiente? Vale a pena abrir uma franquia? Investir em ações da Petrobras? Este blog se propõe a responder a questões desse tipo de maneira didática, sem economês.