Topo
Blog do Gesner Oliveira

Blog do Gesner Oliveira

Categorias

Histórico

Copom errou duas vezes ao manter a taxa de juros

Gesner Oliveira

16/05/2018 20h01

O Comitê de Política Monetária (Copom) surpreendeu o mercado ao anunciar a manutenção da taxa básica de juros em 6,5% ao ano (aa).

A expectativa era de que o Copom anunciasse uma última redução na taxa Selic de 0,25 ponto percentual, levando a taxa básica de juros a 6,25% aa. No entanto, contrariando indicação neste sentido, o Comitê mudou de posição.

Há dois erros na decisão do Copom. O primeiro é o excesso de conservadorismo. Manteve-se a taxa de juros mesmo com a evidência de inflação abaixo da meta tanto em 2018 quanto em 2019 e de uma recuperação capenga da atividade econômica.

O segundo equívoco é de comunicação. O comunicado emitido logo após a reunião não explica de forma convincente por que a taxa de juros foi mantida a despeito da ociosidade da economia e da inflação bem-comportada. Pelas informações divulgadas pelo Comitê, a conclusão seria outra.

A verdadeira razão para interromper o ciclo de queda da taxa de juros foi o medo da explosão do dólar. Não há mal nenhum nisso. Mas seria preciso explicar de forma clara e objetiva o motivo da mudança em relação à política que vinha sendo adotada.

Isso mereceria uma explicação no comunicado, de forma a orientar as expectativas. Em vez disso, apontou-se para a manutenção dos juros na próxima reunião, o que não encontra base, pelo menos a julgar pelas informações contidas no documento divulgado.

O Banco Central conseguiu a maior vitória do período recente ao reduzir a inflação que estava em dois dígitos no Governo Dilma, para uma taxa inferior a 3% na atualidade. Em grande medida, isso foi obtido com uma comunicação clara que conferiu credibilidade à política monetária. Não foi o que aconteceu nesta última reunião do Copom.

 

Sobre o autor

Gesner Oliveira é ex-presidente da Sabesp (2006-10), ex-presidente do Cade (1996-2000) e ex-secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda (1995) e ex-subsecretário de Política Econômica (1993-95). É doutor em Economia pela Universidade da Califórnia (Berkeley), sócio da GO Associados, professor de economia da FGV-SP e coordenador do grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV. Foi eleito o economista do ano de 2016 pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Sobre o blog

Você entende o que está acontecendo agora na economia? E o impacto que a macroeconomia tem sobre sua vida? Quando o emprego voltará a crescer? Como a economia impacta sobre o meio ambiente? Vale a pena abrir uma franquia? Investir em ações da Petrobras? Este blog se propõe a responder a questões desse tipo de maneira didática, sem economês.

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber