Topo
Blog do Gesner Oliveira

Blog do Gesner Oliveira

Categorias

Histórico

Como esperado, Copom mantém taxa de juros

Gesner Oliveira

01/08/2018 18h28

A manutenção da taxa de juros pelo Comitê de Política Monetária (Copom) já era esperada. A previsão para a política monetária até o final do governo Temer é administrar o jogo e passar o bastão para o próximo governo com a inflação dentro da meta e juros baixos para os padrões brasileiros.

Aliás, o próximo presidente receberá um carro em condições aparentemente boas, lustrado e com o motor lavado. Inflação e juros estão baixos para padrões históricos nacionais.

Depois do choque do desabastecimento com a greve dos caminhoneiros, os índices de inflação subiram, mas começaram a ceder, como mostrou o resultado do IGP-M de julho (0,51%) e o IPCA-15 (0,64%).

No cenário externo, o Comitê de Política Monetária do Federal Reserve (Fomc) também manteve a taxa de juros como estava, na faixa de 1,75-2% ao ano (que inveja!). No comunicado da decisão, o Fomc afirmou que espera manter o gradualismo na elevação de juros.

No cenário doméstico, o desemprego está alto, mas caindo lentamente, conforme mostram os dados do IBGE divulgados ontem. O índice de desemprego atingiu 12,4% no trimestre encerrado em junho de 2018, equivalente a 13 milhões de desempregados. A expectativa é de recuperação do emprego ao longo de 2018, mas em ritmo lento. Quando os eleitores forem às urnas em outubro, a taxa de desemprego ainda estará em dois dígitos.

Hoje também saíram os dados da balança comercial, registrando superávit de US$ 4,2 bilhões no mês e US$ 58,7 bilhões nos últimos 12 meses. As contas externas vão bem, obrigado, com reservas internacionais próximas a US$ 400 bilhões e o ingresso de investimento direto estrangeiro superando em mais de quatro vezes o déficit em transações correntes com o resto do mundo.

Moral da história: apesar do rombo nas contas fiscais continuar aberto, o próximo governo receberá uma economia administrável, pelo menos no curtíssimo prazo. No médio prazo, a bomba-relógio da previdência pode destruir qualquer pretensão de crescimento.

Sobre o autor

Gesner Oliveira é ex-presidente da Sabesp (2006-10), ex-presidente do Cade (1996-2000) e ex-secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda (1995) e ex-subsecretário de Política Econômica (1993-95). É doutor em Economia pela Universidade da Califórnia (Berkeley), sócio da GO Associados, professor de economia da FGV-SP e coordenador do grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV. Foi eleito o economista do ano de 2016 pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Sobre o blog

Você entende o que está acontecendo agora na economia? E o impacto que a macroeconomia tem sobre sua vida? Quando o emprego voltará a crescer? Como a economia impacta sobre o meio ambiente? Vale a pena abrir uma franquia? Investir em ações da Petrobras? Este blog se propõe a responder a questões desse tipo de maneira didática, sem economês.