Topo
Blog do Gesner Oliveira

Blog do Gesner Oliveira

Categorias

Histórico

Maioria é a favor da reforma. Mas qual?

Gesner Oliveira

2012-02-20T19:17:42

12/02/2019 17h42

As expectativas estão otimistas com uma projeção de inflação abaixo de 4% e taxa básica de juros (Selic) estável em 6,5% em 2019. A ata do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada hoje reforçou este cenário.

Segundo o último Relatório Focus do Banco Central, a previsão para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de 2019 caiu de 3,94% da semana passada para os atuais 3,87%. Esta foi a quarta queda seguida da projeção de inflação e a segunda vez que o mercado estimou o índice abaixo de 4% neste ano.

Para 2020, a projeção foi mantida em 4%, em linha com a meta central, também de 4% para o próximo ano. A expectativa é de o preço do dólar permanecer em patamar próximo ao atual, de R$ 3,70. Para o fechamento de 2020, ficou mantida a cotação de R$ 3,75 por dólar.

O mercado parece conservador em relação ao crescimento do PIB em 2019. A previsão permaneceu inalterada em 2,50%, tanto para este ano quanto para 2020. Nosso modelo na GO Associados indica uma expansão superior a 3% para 2019, acarretando uma taxa de inflação um pouco maior, mas dentro da meta.

Em pesquisa realizada pela Fiesp com 500 empresas em novembro último e divulgada ontem, 72,9% dos empresários afirmaram pretender aumentar a produção em 2019 e 41,2% deles devem ampliar o emprego já neste primeiro semestre, o maior percentual desde 2011, quando 40,8% tinham a mesma intenção.

Em relação ao tema central da reforma da Previdência, a mesma pesquisa da Fiesp apontou que 92,4% dos empresários esperam a aprovação do projeto.

Por sua vez, pesquisa encomendada pelo BTG Pactual, realizada na primeira semana deste mês e divulgada ontem, indica apoio de 83% do Congresso Nacional à reforma da Previdência. Entre senadores, a taxa de aprovação é de 89%; entre deputados, 82%.

O problema é saber qual reforma estará em votação. Aí começam as divergências. Por exemplo, só 20% dos deputados e 19% dos senadores querem manter em 65 anos a idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres, proposta cogitada pela equipe econômica. Neste caso, 61% dos deputados e 63% dos senadores são contrários.

Prevalece, portanto, um clima propício à mudança, talvez como nunca tenha havido no país desde a implementação do Plano Real, em 1994.

Para concretizar a reforma, contudo, o segredo está na arte de transformar esta vontade difusa de mudança em proposta concreta. Algo que caiba na estreita intersecção entre o palatável para a política e o necessário para a economia.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Gesner Oliveira é ex-presidente da Sabesp (2006-10), ex-presidente do Cade (1996-2000) e ex-secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda (1995) e ex-subsecretário de Política Econômica (1993-95). É doutor em Economia pela Universidade da Califórnia (Berkeley), sócio da GO Associados, professor de economia da FGV-SP e coordenador do grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV. Foi eleito o economista do ano de 2016 pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Sobre o blog

Você entende o que está acontecendo agora na economia? E o impacto que a macroeconomia tem sobre sua vida? Quando o emprego voltará a crescer? Como a economia impacta sobre o meio ambiente? Vale a pena abrir uma franquia? Investir em ações da Petrobras? Este blog se propõe a responder a questões desse tipo de maneira didática, sem economês.