Topo
Blog do Gesner Oliveira

Blog do Gesner Oliveira

Categorias

Histórico

Bolsonaro versus Bolsonaro

Gesner Oliveira

2015-02-20T19:16:09

15/02/2019 16h09

O anúncio de uma idade mínima para aposentadoria, de 65 anos para homens e 62 para mulheres, chancelada pelo presidente Bolsonaro, teve ótima recepção no mercado.

A proposta para a reforma da Previdência é mais ambiciosa do que a do governo Temer e pode virar o jogo em relação ao rombo nas contas do governo.

Ela é indispensável, não apenas para se ter como pagar os salários dos servidores federais, mas também os dos estados e municípios que, na sua maioria, estão quebrados. Isso sem falar naquilo que realmente interessa à população: saúde, educação e segurança.

Diante do sinal do presidente de que a proposta de reforma da Previdência não é mais um remendo, os analistas e investidores relevaram a crise que o governo fabricou em casa (ou melhor, no palácio). Imediatamente após o anúncio da idade mínima, a Bolsa reagiu positivamente, sinalizando o que pode ser o futuro se o Brasil fizer o que precisa ser feito.

Porém, já deu para perceber que, apesar do elevado capital político, o governo ainda não conseguiu organizar sua base de apoio para aprovar as reformas. Terá de fazê-lo rapidamente.

A crise envolvendo o ministro da Secretaria Geral  da Presidência, Gustavo Bebianno, e o seu partido, PSL, bem como as reações dos filhos e do próprio presidente Jair Bolsonaro evidenciam um problema de descoordenação geral no governo. O presidente veste a camisa do Palmeiras, mas a organização tática lembra a do São Paulo de Jardine. É urgente rever o esquema de jogo.

Mais uma vez, a política pode atrapalhar a economia. Um adiamento da reforma seria um enorme retrocesso. Apenas reforçaria o ceticismo de inúmeros investidores que hesitam em contratar mão de obra e colocar capital em um país que, como lembrava Roberto Campos, "não perde oportunidade de perder uma oportunidade".

Portanto, apesar da melhora na situação econômica, o leitor deve se preparar para semanas e meses de incerteza. Bem menos do que no ano passado, mas muito mais do que precisaria, se não tivesse tanto atacante chutando pênalti para fora e zagueiro fazendo gol contra.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Gesner Oliveira é ex-presidente da Sabesp (2006-10), ex-presidente do Cade (1996-2000) e ex-secretário de Acompanhamento Econômico no Ministério da Fazenda (1995) e ex-subsecretário de Política Econômica (1993-95). É doutor em Economia pela Universidade da Califórnia (Berkeley), sócio da GO Associados, professor de economia da FGV-SP e coordenador do grupo de Economia da Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV. Foi eleito o economista do ano de 2016 pela Ordem dos Economistas do Brasil (OEB).

Sobre o blog

Você entende o que está acontecendo agora na economia? E o impacto que a macroeconomia tem sobre sua vida? Quando o emprego voltará a crescer? Como a economia impacta sobre o meio ambiente? Vale a pena abrir uma franquia? Investir em ações da Petrobras? Este blog se propõe a responder a questões desse tipo de maneira didática, sem economês.